Artigo

O PSDB tem historicamente participado ativamente das principais lutas do nosso país. Não só isso, o partido tem sido protagonista em situações que elevaram o Brasil a outros patamares, seja na saúde, economia, fortalecimento da democracia.

O Plano Real criado pelo então Ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, trouxe luz ao fim do túnel da alta inflação na década de 90. A moeda estabilizou o país economicamente após diversas fracassadas tentativas para controlar a alta de preços. Desta conquista, o Brasil pode sonhar novas projeções em suas mais diferentes áreas.  

Foi pela condução do então Ministro da Saúde, José Serra, que o Brasil foi reconhecido pelas Organizações Unidas como referência na prevenção e tratamento da AIDS, tendo coeficiente de morte pela doença diminuído 50% entre 1996 a 1999.

Ainda na gestão do presidente FHC, os brasileiros tiveram a oportunidade de adquirir medicamentos genéricos, uma revolução econômica para os cuidados com a saúde, remédios de qualidade e mais baratos. Os genéricos têm uma supervisão rígida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), também criada pela gestão do PSDB no governo federal, 1999.

A Lei de Responsabilidade Fiscal garantiu rigor no planejamento do uso de recursos públicos. Como afirmou Margareth Thatcher, “Não existe dinheiro público, existe apenas o dinheiro do pagador de impostos”. Dinheiro este sagrado e que a lei veio proteger, garantir planejamento e equilíbrio fiscal.

O mundo enfrentou uma pandemia, ainda presente, mas graças à ciência e à vacinação, países, estados e cidades começaram a voltar a rotina.

O Brasil passa das 600 mil mortes devido a Covid-19, porém, hoje muitos estados tem registros de zero mortes ao dia pela doença, graças a uma onda de vacinação em massa que aconteceu graças ao governador de São Paulo, João Doria.

Um momento emblemático da história mundial precisou de líderes que priorizassem as vidas de seu povo, e buscassem junto à ciência uma alternativa para que o normal pudesse ser vislumbrado novamente.

O PSDB deu essa contribuição, e iniciou com Doria a corrida pela vacina. Foi no dia 17 de janeiro, aplicada a primeira dose da esperança na enfermeira da linha de frente, Mônica Calazans, de 54 anos, aqui no Estado de São Paulo.

De lá pra cá, toda população adulta e jovem já foi vacinada e esta semana foi anunciada dose de reforço.

São vários capítulos da história em que o PSDB, como filho do país, não fugiu à luta. O Brasil vive uma realidade dura, inflação assombra as famílias, desemprego, desesperança. O próximo ano será decisivo, e o nosso partido está a postos apresentando alternativas para uma nova via, que seja democrática, que tenha liderança, e que governe o país do modo que ele merece e precisa.  

O PSDB realiza neste domingo (21) as prévias para escolha deste nome, uma ação diferente de todos os partidos, que envolve filiados, que tem uma disputa saudável, que propõe nomes competentes para candidatura à presidência. Democracia sempre.

O PSDB mantém firme o seu compromisso com o Brasil.